ERPI (Lar de Idosos)

Equipamento social que visa o alojamento coletivo, temporário ou permanente, para pessoas idosas em sejam desenvolvidas atividades de apoio social e prestados cuidados de enfermagem.

Centro de Dia

Resposta social, desenvolvida em equipamento, que consiste na prestação de serviços que contribuem para a manutenção dos indivíduos idosos no seu meio familiar e social.

Apoio Domiciliário

Cuidados individualizados e personalizados, no domicílio, a utentes que, por motivo de doença, deficiência ou outro impedimento, não possam assegurar atividades do dia-a-dia.

Jardim de Infância

Serviços que permitem o desenvolvimento equilibrado das crianças desde os 3 anos até ao ingresso no ensino básico, sendo complementar da ação educativa da família.

Cantinas Sociais

Resposta social, desenvolvida em equipamento, para o fornecimento de refeições, em especial a indivíduos economicamente desfavorecidos, podendo integrar outras atividades.

Gabinete de Apoio Social

Disponibiliza atendimento, acompanhamento social e/ou encaminhamento individual e familiar à população carenciada, em situação (ou risco) de exclusão social.


ADIC Destaque

04/12/2018 - 22:48h
Decorreu no passado dia 30 de novembro, pelas 21 horas, no Centro de Dia, com a presença de trinta associados a assembleia geral ordinária da associação.
… novo Centro Social, a obra arrancou em outubro de 2018 e avançará por todo o ano de 2019, perspetivando-se que esteja concluída em abril/maio de 2020.
*Quanto ao 1º ponto da ordem de trabalhosApreciar e votar o orçamento e programa de ação para o ano de 2018, bem assim como o parecer do Conselho Fiscal – cfr. art. 32º alínea e) dos Estatutos.Usou da palavra o presidente da Direção Rogério Martins que de uma forma resumida apresentou aos associados o programa de ação para 2019 e teceu alguma considerações sobre o mesmo, designadamente:Que o Programa de Ação da ADIC é um documento de gestão estratégica, que especifica o rumo de ação da instituição, com vista ao cumprimento da sua missão, tendo por base o seu percurso histórico e as suas potencialidades/recursos financeiros.Com o nosso exemplo, pretende-se ajudar a economia social da nossa Região a desenvolver-se e a assumir novos desafios em ordem a torná-la cada vez mais incontornável na nossa vida coletiva. Pretende-se que a ADIC Vilarinho mantenha a sua atenção para com as necessidades das pessoas, numa dinâmica de proximidade e de trabalho em rede com entidades públicas e privadas, favorecendo desta forma o desenvolvimento da comunidade de uma forma integrada e completa.Neste contexto, e indo de encontro aos princípios, valores e objetivos que definem o projeto da ADIC, o grande e primordial objetivo estratégico da ADIC é concluir o novo Centro Social e assegurar a sustentabilidade económica, financeira, ambiental e organizacional de toda a Instituição.Além deste enorme desígnio a Direção pretende manter todas as suas atuais respostas sociais em pleno funcionamento, dentro das conhecidas limitações físicas dos equipamentos existentes.Rogério Martins abordou ainda cada uma das respostas sociais, tendo elencado o que se propõe para o próximo ano, acrescentou ainda que a ADIC vai continuar a cumprir com o protocolado com a Segurança Social, a nível dos acordos, e, vai sempre, tudo fazer para continuar a honrar todos os seus compromissos sejam eles de que natureza forem, designadamente os financeiros.Relativamente ao novo Centro Social, a obra arrancou em outubro de 2018 e avançará por todo o ano de 2019, perspetivando-se que esteja concluída em abril/maio de 2020, por isso vamos estar fortemente empenhados em que tudo corra dentro do planeado e projetado.Finalmente, disse que sem o apoio de todos em geral e em particular dos Baldios de Vilarinho a ADIC nunca teria chegado onde se encontra e, acima de tudo não teria projetado o futuro com esperança e com um fortíssimo investimento como este que se está a realizar no presente. Que a Direção da ADIC vai continuar atenta e vigilante ao desenrolar dos problemas sociais que nos envolvem e não hesitará em reforçar as medidas que agora prevemos ou recorrer a outras, caso a situação assim o recomende.Seguidamente usou da palavra o tesoureiro Paulo Costa, que muito sinteticamente apresentou o orçamento aos associados, destacando: Total dos Rendimentos Previsionais - 412.300,00 €; Total dos Gastos Previsionais - 409.798,34 €; Resultado Líquido Previsional - 2.501,66 €.Referiu ainda que se prevê um Investimento para 2019 (… % do valor estimado para a conclusão da construção da nova sede), no valor de 600.000,00 €.Esclareceu ainda todos os associados que o Protocolo com os Baldios de Vilarinho está a ser devidamente cumprido por ambas as partes. O CD dos Baldios de Vilarinho já transferiu o subsídio referente aos anos de 2017 e 2018 (30.000 € + 30.000 €) e que a ADIC espera e conta com o subsídio para o ano de 2019.Que a ADIC está a registar e a cumprir com todas as normas contabilísticas desses valores. A totalidade dos subsídios está reconhecida na conta 5931 – C. D. Baldios dos Lugares da Extinta Freguesia de Vilarinho – 450.000 € (ver contas do exercício de 2017). Como o subsídio anual atribuído à ADIC pelos Baldios tem um destino específico, que é a construção do novo Centro Social, os ganhos, as receitas desses valores (30.000 € x 15 anos) só poderão ser reconhecidos nas contas e nos orçamentos quando o edifício começar a ser amortizado, quando o edifício estiver em funcionamento.*Lido que foi aos associados o parecer favorável do Conselho Fiscal, pela mesa foram os documentos colocados à consideração e votação, tendo o programa de ação e orçamento para 2019 sido votado favoravelmente, por unanimidade.
*Passou-se ao ponto nº 2 da ordem de trabalhos:Informar do ponto de situação relativamente a todo o processo de financiamento e de construção do Novo Centro Social de Vilarinho.A Direção deu aos associados todos os esclarecimentos disponíveis. Respondeu ainda a todas as solicitações e dúvidas.
*Seguidamente discutiu-se o ponto nº 3 da ordem de trabalhos:Deliberar e aprovar os regulamentos internos, designadamente o Eleitoral e Disciplinar – cfr. Art.º 32º, n.º 1, alínea K, dos Estatutos.Pela Direção foram apresentadas projetos de Regulamentos internos, designadamente Eleitoral e Disciplinar.Com a publicação do Decreto-Lei nº. 172-A/2014, de 14 de novembro, e da Lei nº. 76/2015, de 28 de Julho, que alteraram a redação do Decreto-Lei n.º 119/83, de 25 de fevereiro, regulador dos Estatutos das IPSS, foi preciso ajustar os Estatutos em conformidade, e, em consequência, elaborar também os Regulamentos Eleitoral e Disciplinar.Assim, perante a importância e a natureza específica da matéria tratada de forma genérica nos Estatutos, os Regulamentos passarão a constituir instrumentos complementares da organização e dos procedimentos a observar.Após análise e discussão, os Regulamentos – Eleitoral e Disciplinar – foram colocados à votação e foram aprovados por unanimidade dos associados.

AQUI poderá visualizar as fotos da assembleia. A Direção

ADIC Notícias

27/11/2018 - 15:03h
18/11/2018 - 18:14h
Ensinar a separar e dar a conhecer as vantagens da reciclagem, são os objetivos destas acções de sensibilização numa iniciativa promovida pela ERSUC. Gratos por esta iniciativa!!! Os amigos do ambiente
Vai ter lugar no próximo dia 30 de novembro de 2018, pelas 20:00 horas, no Centro de Dia de Vilarinho, a assembleia-geral ordinária da ADIC, com a seguinte ordem de trabalhos: 1 – Apreciar e votar o orçamento e programa de ação para o ano de 2019, bem assim como o parecer do Conselho Fiscal – cfr. art. 32º alínea e) dos Estatutos. 2 – Informar do ponto de situação relativamente a todo o processo de financiamento e de construção do Novo Centro Social de Vilarinho. 3 – Deliberar e aprovar os regulamentos internos, designadamente o Eleitoral e Disciplinar – cfr. Art.º 32º, n.º 1, alínea K, dos Estatutos. 4 – Outros assuntos de interesse para a Associação. Se, à hora acima indicada, não estiverem presentes mais de metade dos associados com direito a voto, nos termos do art.º 35º, nº 6 dos Estatutos, a Assembleia reunirá uma hora depois, com qualquer número de sócios presentes. Oportunamente, serão aqui disponibilizados - adic.pt - mais documentos que irão ser submetidos a apreciação e a votação dos associados. Abaixo poderá consultar: - Convocatória - Programa de Ação e Orçamento para 2018 A Direção

04/11/2018 - 16:17h
21/10/2018 - 18:45h
Toda a área envolvente do Outeiro, em Vilarinho se encontra com aspeto de obras em curso. O reinicio das obras no Centro Social e as melhorias do jardim são uma realidade. A ADIC tudo tem feito para que o FUTURO seja mais risonho para os nossos Utentes. A Direção
Tiveram reinício, no passado dia 15 de outubro de 2018, as obras no Outeiro, Vilarinho. A primeira fase de construção da obra «estrutura e telhado», iniciou-se em janeiro de 2009 e foi dada por concluída em novembro do mesmo ano. Assim, o investimento global no que já se encontra construído ascende a um valor a rondar os € 500.000,00 (meio milhão de euros). Estas obras - 2ª fase -, é o culminar de um demorado e penoso processo, tendo sempre como principal objetivo a conclusão da construção de raiz do Centro Social para dar resposta às suas diversas valências já existentes no âmbito do apoio social que presta em todo o concelho da Lousã e muito principalmente a criação de uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosos (ERPI), com a capacidade para 39 residentes, Centro de Dia para 40 Utentes e Serviço de Apoio Domiciliário para 60 Utentes. A empreitada é da responsabilidade da empresa ALVAPE - Construção e Obras Públicas, Lda, e tem o valor global de 1.097.129,15 €, sendo o prazo previsto de execução de 18 (dezoito) meses. Prevendo-se, não havendo nenhum contratempo até lá, que para abril de 2020, o Centro Social da ADIC seja uma realidade. O novo Centro Social representará uma enormíssima mais-valia social para todos aqueles que já necessitam ou porventura venham a necessitar de apoio, designadamente na vertente de equipamento residencial para idosos, uma vez que, atualmente, são obrigados a procurar fora e longe da sua terra o apoio para as suas necessidades, carências e problemas. A Direção
new
14 NOV 2018
No dia 14 de novembro, pelas 21 horas terá lugar, na sede da Associação, a reunião Ordinária da Direção mês de novembro de 2018 - cfr. artº. 38º dos estatutos. A Direção
new
30 NOV 2018
Nos termos do disposto no artigo 34º, nº 2 dos Estatutos, o presidente Dr. Alcides Martisn convocou a Assembleia Geral da ADIC – Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã, para reunir em Sessão Ordinária, a realizar no próximo dia 30 de novembro de 2018, pelas 20:00 horas, no Centro de Dia de Vilarinho, com a seguinte ordem de trabalhos: 1 – Apreciar e votar o orçamento e programa de ação para o ano de 2018, bem assim como o parecer do Conselho Fiscal – cfr. art. 32º alínea e) dos Estatutos. 2 – Informar do ponto de situação relativamente a todo o processo de financiamento e de construção do Novo Centro Social de Vilarinho. 3 – Deliberar e aprovar os regulamentos internos, designadamente o Eleitoral e Disciplinar – cfr. Art.º 32º, n.º 1, alínea K, dos Estatutos. 4 – Outros assuntos de interesse para a Associação. Se, à hora acima indicada, não estiverem presentes mais de metade dos associados com direito a voto, nos termos do art.º 35º, nº 6 dos Estatutos, a Assembleia reunirá uma hora depois, com qualquer número de sócios presentes.
new
05 DEZ 2018
No dia 5 de dezembro, pelas 21 horas terá lugar, na sede da Associação, a reunião Ordinária da Direção mês de dezembro de 2018 - cfr. artº. 38º dos estatutos. A Direção

LOUSÃ Notícias


Foram ontem hasteadas no edifício dos Paços do Concelho as bandeiras referentes às distinções obtidas pela Câmara Municipal da Lousã, nomeadamente “ECO XXI”, “Autarquia + Familiarmente Responsável” e “Município Amigo do Desporto”. No que diz respeito ao galardão “ECO XXI”, o Município da Lousã foi distinguido como o 2.º município mais sustentável do País. Pelo 7.º ano consecutivo, a Lousã, foi, também, distinguida com o galardão “Autarquia + Familiarmente Responsável”. Já pelo 2.º ano consecutivo, a Lousã foi distinguida como “Município Amigo do Desporto”, galardão atribuído pela plataforma Cidade Social. Estes galardões refletem a qualidade do trabalho em rede promovido no Município e representam, segundo o Presidente da Câmara Municipal, Luís Antunes “um estímulo e um desafio para continuarmos a desenvolver estratégias e projetos que contribuam para um concelho com – cada vez mais – qualidade de vida.


Metrobus servirá o antigo ramal ferroviário da Lousã e a cidade de Coimbra. Daqui a dois anos será desactivado o canal ferroviário entre as estações de Coimbra-A e Coimbra B. A solução tecnológica de autocarros eléctricos designada "Metrobus do Sistema de Mobilidade do Mondego", que irá servir o antigo ramal ferroviário da Lousã e a cidade de Coimbra, estará concluída em 2021, anunciou a Infra-estruturas de Portugal (IP). "O projecto do Metrobus do Sistema de Mobilidade do Mondego entrará em serviço no final de 2021", disse fonte oficial da IP, numa resposta escrita enviada à agência Lusa. A mesma fonte adiantou que o projecto do Metrobus "mantém as mesmas características de traçado do previsto no metropolitano de superfície, pressupondo a desactivação do canal ferroviário entre [as estações] de Coimbra-A e Coimbra B e garantindo a ligação directa das várias centralidades da cidade à Linha do Norte". De acordo com a Infra-estruturas de Portugal, a desactivação daquele ramal ferroviário de ligação entre a linha do Norte e a estação localizada na baixa da cidade está "prevista para o último trimestre de 2020" (daqui por dois anos, um ano antes da entrada ao serviço do sistema Metrobus) e será feita "em articulação com a CP e com a Câmara Municipal de Coimbra". "Até lá, a estação de Coimbra-A e a sua ligação a Coimbra-B continuarão a funcionar como habitualmente", adiantou a IP. Já este ano, no dia 2 de Julho, em Penacova, distrito de Coimbra, na presença do primeiro-ministro, António Costa, o ministro do Planeamento e Infra-estruturas, Pedro Marques, informou que o primeiro concurso público do denominado Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), no Ramal da Lousã e em Coimbra, será lançado no início de 2019. O processo do Sistema de Mobilidade do Mondego arrasta-se há mais de duas décadas, com a criação da Metro Mondego, uma sociedade liderada pelo Estado e integrada também pelos municípios de Coimbra, Lousã e de Miranda do Corvo e pela Infra-estruturas de Portugal (que substituiu a REFER na composição accionista da empresa de capitais exclusivamente públicos). O projecto de metro ligeiro para o Ramal da Lousã (ferrovia que servia os municípios de Coimbra, Lousã e Miranda do Corvo, que foi desactivada em 2010 e cujos carris foram removidos), foi anunciado em 1994, mas, entretanto, abandonado, tendo o actual Governo decidido avançar com o sistema de metrobus.


O Município da Lousã foi hoje galardoado como o 2.º município mais sustentável do País, no âmbito do Galardão ECOXXI, instituído pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), numa cerimónia que teve lugar em Estarreja. Nesta edição a candidatura da Lousã, voltou a melhorar a sua pontuação, subindo – em relação à edição anterior – um lugar na tabela e obtendo a sua melhor classificação de sempre, consolidando a sua posição no patamar mais elevado deste galardão, onde só conseguiram chegar 7 municípios (Guimarães, Lousã, Loulé, Águeda, Alfandega da Fé, Loures e Pombal). Participaram no Galardão ECOXXI 2018, 50 municípios de todas as regiões do país. Hastear uma bandeira ECOXXI significa, principalmente, o compromisso assumido pelo município para com os seus munícipes, de trabalhar a sustentabilidade nas áreas ambiental, económica e social, dando ainda especial atenção à importância da educação neste percurso. A avaliação das ações, práticas e políticas realizadas em diversos domínios da sustentabilidade, baseia-se num sistema de 21 indicadores e foi realizada por um conjunto de pessoas e entidades – mais de 40 instituições - que integram a Comissão Nacional ECOXXI e se agregaram em júris especializados. As áreas temáticas cobertas pelos diversos indicadores contemplam os domínios ambiental, social e económico, e vão desde a educação ambiental, ao turismo sustentável, passando pela qualidade da água e do ar, gestão de resíduos e saneamento, mobilidade e ordenamento do território e ainda a participação pública, emprego e informação ao munícipe, entre outros.

SOCIAL Notícias


Reunidas em Assembleia Geral, as associadas da CNIS aprovaram por esmagadoras maiorias o Plano de Ação e o Orçamento para 2019, tendo sido ainda fixada a data de realização do Congresso Eleitoral, que acontecerá no próximo dia 12 de janeiro. Assim, no arranque de mais um ano civil, a CNIS elegerá os novos órgãos sociais para o quadriénio 2019-2022, sendo já conhecida a intenção da Direção avançar coim uma lista candidata o ato eleitoral. De resto houve um grande consenso em torno dos documentos que estiveram a votação e ainda na identificação dos enormes constrangimentos que as IPSS vivem de uma maneira geral. O presidente da CNIS afirmou mesmo que “os dois grandes problemas” que as instituições vivem atualmente prendem-se com “a sustentabilidade” e a atitude persecutória do Instituto da Segurança Social (ISS), que se traduz na “falta de respeito dos serviços do Estado para com este Sector” com as inúmeras inspeções e fiscalizações às IPSS, afirmou o padre Lino Maia, rematando: “O ISS não está a funcionar como parceiro. Comportam-se como os donos disto tudo e nós somos uns feitores muito maltratados”. O retrato completo da última reunião Magna ordinária dos atuais Corpos Sociais será feito, em breve, aqui no SOLIDARIEDADE.


O Conselho de Ministros aprovou o alargamento do Complemento Solidário Para Idosos (CSI) aos pensionistas por invalidez que não beneficiem da Prestação Social para a Inclusão e tenham um grau de incapacidade igual ou superior a 80%. A medida consta da proposta de Orçamento do Estado para 2019, o que obrigou ao reforço financeiro do Complemento Solidário para Idosos, tendo o Governo destinado 265 milhões de euros para esta prestação social, mais 45,5 milhões de euros do que no orçamento de 2018. Sendo assim, o CSI passa a contemplar os pensionistas por invalidez que não tenham direito à Prestação Social para a Inclusão -- destinada às pessoas com deficiência - mas tenham um grau de incapacidade igual ou superior a 80% cuja certificação não tenha sido emitida ou requerida antes dos 55 anos. No comunicado à imprensa, o Governo anuncia que, "por motivos de equidade, o alargamento do CSI produzirá efeitos relativamente a todos os pensionistas de invalidez a partir de 01 de outubro de 2018". Desta maneira, diz o Governo, fica garantido "um efetivo reforço dos recursos dos pensionistas de invalidez que vivam em situação de carência económica e insuficiência de recursos". "Com a aprovação deste decreto regulamentar, o Governo alarga o âmbito de uma das medidas de maior relevo no combate à pobreza, o Complemento Solidário para Idosos, aos pensionistas de invalidez que não reúnam as condições de acumulação com a Prestação Social para a Inclusão e que importa proteger face ao risco de pobreza", lê-se no comunicado distribuído aos jornalistas.


As entidades que desenvolvem ações de inovação e empreendedorismo social podem obter financiamento para reforço das suas competências de gestão e comunicação, no âmbito do segundo concurso de Capacitação para o Investimento Social, que foi aberto esta terça-feira, 4 de setembro. Segundo um comunicado da iniciativa pública Portugal Inovação Social, as candidaturas estarão abertas até 04 de dezembro, sendo que este concurso disponibiliza sete milhões de euros através do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE) do Portugal 2020. "O instrumento Capacitação para o Investimento Social tem como principal objetivo apoiar a primeira fase do ciclo de vida dos projetos de inovação social, financiando o desenvolvimento de competências críticas para a sua implementação, com vista a gerar maior impacto social e a captar investimento de forma mais eficiente", diz a nota informativa.

"Entendo que a SOLIDARIEDADE é enxergar no próximo as lágrimas nunca choradas e as angústias nunca verbalizadas"
  Frase do dia por in, Augusto Cury
Previsão metereológica
Parceiros & Apoios

A "ADIC - Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã" agradece a todas as entidades e organizações que reconhecem e apoiam a sua actividade.
Morada
ADIC - Associação de Defesa do Idoso e da Criança de Vilarinho, Lousã
Rua Senhora das Preces, nº 4, Vilarinho
3200-407 Lousã

Coordenadas GPS
Centro de Dia
Lat. 40° 7'27.90"N
Long. -8°12'53.86"W
Jardim-de-infância
Lat. 40° 7'30.60"N
Long. -8°12'57.92"W
Centro Social
Lat. 40° 7'31.58"N
Long. -8°12'56.10"W
letterbee